IRS 2018: Estas 5 datas são fundamentais para não cometer erros

A entrega do IRS está a tornar-se um processo daca vez mais simplificado, mas ainda faz confusão a muitas pessoas!


A entrega do IRS continua a ser uma verdadeira dor de cabeça para muitos contribuintes. Há prazos limites e processos que não podem falhar, senão pagam mais ou perdem dinheiro.

Estas são as datas que tem mesmo de conhecer.

Até 15 de fevereiro: Para garantir o máximo das deduções em sede de IRS vá ao portal e-fatura! Há várias coisas que tem de fazer até esta data. Confiem no portal se estão registadas todas as suas despesas mais relevantes de 2017. Valide as faturas pendentes e complete a informação em falta. As que estiverem em falta, podem ser registadas manualmente!

Até 15 de março: Se houver erros, tem até esta data para reclamar! O fisco reúne depois toda a sua informação e, até ao fim do mês de fevereiro, apresenta-lhe o valor das despesas que vai poder deduzir no IRS. O que tem de fazer é verificar se os valores apresentados estão corretos. Se discordar e encontrar erros, reclame até dia 15 de março.

De 1 de abril a 31 maio: Esta é a data única para a entrega do IRS, para todos os contribuintes! Anote bem esta data e não se esqueça! E tenha em atenção que já não vai existir. A entrega do IRS passa a ser feita, obrigatoriamente, através do novo Portal das Finanças.

Até 31 de julho: Se tiver direito a devolução do IRS, o fisco terá de liquidar o imposto até 31 de julho. A boa notícia é que, quem tiver direito a declaração automática e entregar o IRS logo no início do prazo, pode ter o reembolso na conta bancária, em 15 dias.

31 de agosto: Pagamento de imposto Se, pelo contrário, tiver de pagar, tem até 31 de agosto para o fazer. Nem mais um dia, sob pena de ter de pagar o imposto e ainda uma multa.

Partilha esta Oferta de Emprego para ajudar quem precisa!

Partilhar no FacebookPartilhar no TwitterPartilhar no Google+

Também pode interessar: