Mulheres ganham menos que os homens em todas as profissões

Um estudo de "Igualdade de Gênero ao Longo da Vida -- Portugal no contexto europeu" da Fundação Francisco Manuel dos Santos, e da autoria de sete investigadores, revelou que em média, as mulheres têm salários inferiores aos dos homens em todas as profissões.

Esta situação não é fixa só em Portugal, pois também foi demonstrado que tal situação ocorre em todos os países da Europa, situação que se prolonga pela vida fora, com saída precoces do mercado de trabalho, pensões baixas e maior risco de pobreza.

De acordo com uma das autoras, uma das constatações que "chocou perceber" foi que apesar de as mulheres terem, em média, mais habilitações literárias do que os homens, entram no mercado de trabalho em desvantagem, ganhando salários mais baixos e com empregos mais precários, um fenómeno que em Portugal é "bastante acentuado".

Olhando para a disparidade salarial, Portugal apresenta um valor inferior à média da União Europeia, já que as mulheres portuguesas "ganham menos 11,2 euros/hora do que os homens", quando a média europeia é de 17,4 euros. De acordo com o estudo, em Portugal, a maior diferença entre salários, regista-se entre os representantes do poder legislativo e de órgãos executivos, dirigentes, diretores, gestores e executivos (586 euros), seguindo-se os trabalhadores qualificados da indústria, construção e artífices (364 euros) e os operadores de instalações e máquinas e trabalhadores da montagem (353 euros). O fosso salarial atinge também os trabalhadores não qualificados, havendo uma diferença de 203 euros entre os salários de homens e mulheres.

Também pode interessar: